Ferry Boat aumenta o valor da travessia entre Itajaí e Navegantes

0
40

Itajaí – Uma das travessias aquáticas mais caras do Brasil sofreu um novo reajuste nesta semana. Desde domingo (03) a passagem do ferry boat entre as cidades de Itajaí e Navegantes aumentou quase 4%. O reajuste foi autorizado pelo Departamento de Transportes e Terminais de Santa Catarina (Deter) e vale tanto para a travessia do Centro das cidades como para a balsa da Barra do Rio, a antiga ‘balsinha’. Há anos a concessão do serviço é questionada judicialmente, inclusive através de um inquérito do Ministério Público.

Nesta semana quem precisou se deslocar entre as duas cidades através do ferry boat já notou a diferença. O custo para pedestre passou a ser de R$ 1,45 por pessoa. A passagem para carros está custando R$ 9,05, motocicleta R$ 2,30 e ciclistas terão de desembolsar R$ 1,85.

De acordo com o gerente de logística da empresa de Navegação Santa Catarina, detentora da concessão, Wilimar Keller, o reajuste foi solicitado ao Deter para que a empresa possa investir no serviço.

O reajuste foi duramente criticado pelos usuários nas redes sociais. “Sempre sobrando pro povão pagar a conta!”, afirmou Mirian Bueno. Outra internauta criticou o argumento de que o reajuste teria sido autorizado para melhorias da estrutura. “Que melhorias? Tá a mesma coisa há anos a única melhoria foi o forro que colocaram no embarque dos passageiros. Mais um blá blá blá”, escreveu Lu Troupos.

O último aumento do ferry havia sido em julho do ano passado. Na época os bilhetes sofreram um reajuste de 9,2% por conta de um suposto aumento dos custos. O mesmo índice foi reajustado no ano anterior. O que significa dizer que em menos de três anos, o valor da travessia já aumentou em mais de 21%. Enquanto isso, neste mesmo período, o salário mínimo do trabalhador brasileiro aumentou 16%.

O serviço da travessia entre as duas cidades é exercido através de permissão do Estado, que atualmente é questionada pelo Ministério Público. Em 2014 o Deter chegou a abrir uma licitação, mas acabou voltando atrás. O edital foi revogado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) por uma série de indefinições. Até mesmo a posse das áreas onde estão os terminais chegou a ser questionada pelo Ministério Público. Enquanto a investigação não tem fim, os reajustes de uma das travessias mais caras do país, seguem sendo autorizados pelo governo, através do Deter.

Cobrança injusta

Em abril deste ano o vereador de Itajaí Edson Lapa (PR) questionou através de um requerimento ao DETER a cobrança da travessia aos passageiros de motocicletas. Apesar de ser autorizada pela Instrução Normativa 009, a cobrança é injusta na opinião do vereador e dos usuários do ferry. Isso porque, diferente do que ocorre com os motociclistas, nenhum motorista de carro ou van paga a mais na travessia por cada passageiro que leva no veículo.

Em Laguna e São Francisco do Sul, por exemplo, não há cobrança do passageiro. A cobrança é feita por veículo, independente de ter uma ou duas pessoas. O mesmo ocorre na travessia paranaense de Guaratuba. Em Navegantes, porém, o passageiro da moto precisa pagar o valor correspondente ao de pedestres para realizar a travessia.

Valores para atravesar

DEIXE UMA RESPOSTA