Comissionadas autorizam sessão de maquiagem em pleno expediente

0
91

Itajaí – Enquanto a comunidade espera horas para ser atendida no Centro Integrado de Saúde (CIS) de Itajaí, alguns servidores utilizaram do horário expediente para fazer limpeza de pele e maquiagem. E tudo com o conhecimento dos supervisores, com autorização assinada por servidora comissionada. A denúncia partiu dos vereadores Edson Lapa (PR) e Otto Quintino Jr. (PRB). Depois que o assunto recebeu destaque na mídia, o governo anulou a “autorização” dada pela comissionada e promete tomar providências.

O flagra do serviço de beleza aconteceu durante a noite de quinta-feira (02). Na ocasião três servidoras recebiam limpeza de pele em pleno horário de trabalho. No momento a consultora da Mary Kay apresentou um documento que a autorizava a realizar o procedimento no setor.

No documento, o tempo estipulado para cada atendimento é de aproximadamente 25 minutos e a consultora exige ainda um espaço bem estruturado e iluminado para realizar os procedimentos. De acordo com os vereadores, os funcionários efetivos teriam reclamado do presente, porque segundo eles seria melhor o município melhorar as condições de trabalho a permitir tal prática.

Para o vereador Lapa trata-se de prática ilegal e imoral. “É incrível que exista um documento da Secretaria de Saúde que autoriza uma empresa privada a ocupar o espaço público para aplicar tratamento de beleza em servidores durante o horário de expediente”, comenta. O parlamentar faz questão de frisar que não são todos os servidores que aprovam a prática.

O vereador Otto Quintino também indignou-se com a situação. “É inadmissível que esse tipo de coisa aconteça. Os próprios servidores denunciaram porque entendem que é ilegal e imoral. Já pensou se todas as empresas desejassem aplicar seus produtos em servidores públicos durante o horário de expediente? O serviço público nunca funcionaria bem desse jeito”, finaliza.

Governo promete resolver

Após repercussão da denúncia o Secretário Municipal de Saúde de Itajaí Celso Luiz Dellagiustina enviou um ofício a todos os vereadores informando que tornaria sem efeito a autorização dada à Mary Kay, através da resolução 005/2017. Também fica vedada a exposição e venda de qualquer produto em unidades de saúde da rede pública municipal. O terceiro e último artigo da resolução alerta que os servidores que descumprirem as determinações do documento assinado pelo secretário poderão sofres sansões administrativas.

Satisfeitos com a resposta do gestor da pasta da saúde os vereadores decidiram não levar o caso ao Ministério Público. Ambos prometem seguir atentos e fiscalizando.

Corda sempre arrebenta pro mais fraco

O caso repercutiu nas redes sociais e a comunidade ficou revoltada.  O problema é que, como diz o ditado popular, a corda sempre arrebenta para o lado mais fraco, e ao invés de cobrar postura dos gestores e coordenadores que tiveram a infeliz e ilegal ideia, a comunidade tem se revoltado com enfermeiras e atendentes. Muitas das servidores que, infelizmente, estão ouvindo ofensas da comunidade, nem mesmo concordam com a instalação do salão de beleza na unidade de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA