Governo continua permitindo exploração ilegal de itajaienses

0
70

Itajaí – Quatro meses se passaram desde que o governo municipal foi avisado sobre o descumprimento do contrato do serviço de estacionamento rotativo de Itajaí e, mesmo assim, segue conivente com a exploração ilegal aos itajaienses. O alerta sobre as irregularidades do contrato de concessão com a empresa Hora Park, detentora do serviço da Zona Azul, foi feito pelos vereadores Robison Coelho (PSDB) e Rubens Angioletti (PSB).

 

 Empresa explora cerca de 600 vagas a mais

 

Tanto o edital de licitação quanto o contrato de concessão da empresa, firmado em 2010, prevêem a exploração de, no máximo, 2.200 vagas de estacionamento rotativo. O local dessas vagas é definido através de decretos municipais. Em agosto, depois de analisar informações repassadas pela própria empresa detentora do serviço e pelo poder público municipal, os parlamentares descobriram que os cidadãos de Itajaí pagavam para estacionar em cerca de 600 vagas a mais do que deveriam. Logo depois da denúncia a empresa cancelou o início da cobrança em três ruas do bairro Fazenda, mas seguiu extrapolando o limite contratual. Além de alertar o prefeito, os vereadores também levaram o caso ao Procon.

 

Tava rolando cobrança até sem autorização

 

Não bastasse o descumprimento do contrato, os vereadores também descobriram que a cobrança acontecia em três ruas onde não havia decreto autorizando. O problema foi constatado na rua Pedro Ferreira, entre a rua Silva e rua Samuel Heusi, com 28 vagas; no trecho da avenida Ministro Victor Konder entre a Joca Brandão e a rua Joinville, com 65 vagas; e na avenida Carlos Ely, também chamada de avenida das Capivaras, ao lado da Marejada, com 42 vagas. Quase dois meses depois da denúncia essas 135 vagas foram extintas e, alguns dias atrás, outras 30 vagas também foram suspensas. Ainda assim, a cobrança ilegal do estacionamento em Itajaí segue sendo feita em 297 vagas.

 

Falta de orientação faz com que o povo continue sendo enganado

 

Nas ruas em que não havia decreto e a cobrança foi suspensa, a empresa não retirou as máquinas dos parquímetros. Com isso, muitas pessoas que usam o aplicativo de celular para quitar o estacionamento, continuam pagando sem precisar.

DEIXE UMA RESPOSTA