Volnei apresenta projeto para criar mais 11 cargos de indicações políticas

0
218

Itajaí – O fato de Itajaí ter uma das estruturas públicas mais inchadas de Santa Catarina e de o governo nunca ter apresentado nenhum projeto de reforma administrativa, como foi prometido desde o primeiro dia de mandato do novo prefeito, não intimidou Volnei Morastoni (PMDB) a enviar para a Câmara um projeto de lei que cria mais 11 cargos de indicações políticas. O texto de justificativa do projeto de lei diz que a criação dos cargos é imprescindível para criação do Centro de Solução de Conflitos e Cidadania, que não levou em conta o aproveitamento de advogados que já atuam como comissionados da prefeitura.

O projeto foi protocolado no final do mês de novembro e prevê a criação de oito funções gratificadas, que custarão cerca de R$ 950 por mês aos cofres públicos. Além disso, o texto também cria outros três cargos comissionados com salários de R$ 4.695. O projeto ainda está tramitando nas comissões permanentes da Câmara de Vereadores, mas deve ser lido e apreciado em plenário até o final do ano.

Sem contar os novos cargos que devem ser criados com o novo projeto de lei, a prefeitura de Itajaí já conta com outras cerca de 950 cargos de indicação política, ou seja, cargos comissionados ou funções gratificadas.

Promessa não cumprida

As ações do prefeito são opostas às promessas que o mesmo fez ao assumir a gestão do município. No próprio site da prefeitura é possível acessar o primeiro release da secretaria de comunicação que traz a informação de que a prioridade de Volnei seria enxugar a máquina pública. Rever os cargos comissionados também foi destaque em outras reportagens da imprensa no início deste mandato e ao longo de todo o ano.

Em junho, depois do Decreto de Contingenciamento que tirou direitos dos servidores municipais, o prefeito voltou a frisar à imprensa que uma reforma administrativa estaria sendo preparada. O próprio decreto diz que os cargos comissionados passariam por uma revisão profunda dentro do prazo de 60 dias.

Meio ano depois da publicação do documento, o número de cargos comissionados e funções gratificadas só tem aumentado em Itajaí. Até o fechamento desta edição, não havia sido protocolado na Câmara de Vereadores absolutamente nenhum projeto de reforma administrativa.

DEIXE UMA RESPOSTA